PAULO LIEBERT|ESTADÃO
PAULO LIEBERT|ESTADÃO

André Esteves passou noite na cadeia 'constrangido e perplexo', diz advogado

Advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que defende o banqueiro disse que ele está confiante no pedido de liberdade provisória

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2015 | 11h15

Rio - O banqueiro do BTG Pactual, André Esteves, passou a noite de quarta-feira, 26, "constrangido e perplexo" com a prisão, na sede da Superintendência da Polícia Federal (PF) no Rio, na Praça Mauá, zona Portuária, segundo o advogado Antonio Carlos de Almeida, conhecido como Kakay. No final da noite de quarta-feira, uma advogada do escritório de Kakay levou cobertores e mantimentos para Esteves. O banqueiro, que teve a prisão preventiva decretada por cinco dias, prestou depoimento nesta quarta.

"Ele está confiante no pedido de liberdade provisória que fizemos ontem (quarta) à noite ao ministro do Supremo Tribunal (STF) Federal Teori Zavascki. É uma situação constrangedora, principalmente porque a gente entende que a prisão dele é completamente desnecessária. Foram feitos dois pesos e duas medidas. Todas as citações foram consideradas uma bazófia e com razão. O senador Delcídio do Amaral citou indevidamente os nomes dos ministros do Supremo e citou o André sem que tivesse absolutamente nenhum link. André não foi ouvido, nem gravado, não conhecia essas pessoas", argumentou o advogado.

O presidente do BTG Factual foi preso por decisão do STF, acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.