Anastasia vai decretar luto oficial em Minas

Governador presta homenagem ao ex-vice presidente José Alencar

Agência Estado

29 de março de 2011 | 16h22

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, vai decretar luto oficial no Estado em razão da morte do ex-vice-presidente da República José Alencar. O ex-vice nasceu em Muriaé, interior de Minas Gerais, em 1931. Em nota oficial, Anastasia destacou: "Minas já deu muitos exemplos para o Brasil, de vida e de luta. Poucos foram tão marcantes como é o caso do empresário, político e cidadão José Alencar. Sua luta incansável contra a doença, com certeza, vai ficar na memória de todos nós brasileiros".  

 

Veja também:

linkEx-vice José Alencar morre em São Paulo aos 79 anos

linkPolíticos e personalidades lamentam morte de Alencar

linkEmpresário, Alencar lutou por juros mais baixos

linkLeia entrevista de Alencar ao ‘Estado’

somOuça entrevistas com o ex-presidente

somAcompanhe a cobertura da Estadão/ESPN ao vivo

especialESPECIAL: A trajetória de José Alencar

 

Ainda na nota, o governador lembrou outro mineiro ilustre, Guimarães Rosa que dizia: "As pessoas não morrem, ficam encantadas". E complementou: "É o caso de José Alencar. Um exemplo de resistência, persistência e esperança. À família que acompanhou suas batalhas, o nosso pesar, nossa solidariedade, o nosso abraço".

Anastasia informou também que os procedimentos com relação ao velório dependerão, naturalmente, da vontade da família do ex-vice-presidente. "Vamos aguardar. É claro que Minas Gerais estará aqui sempre solidária para receber e prestar as homenagens a esse grande brasileiro".

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse hoje que Alencar deixa um "legado de correção e dignidade". "Bem-sucedido na iniciativa privada, construindo quase do nada um grupo com faturamento de dois bilhões de dólares, Alencar também marcou de forma muito positiva sua passagem na vida pública", avaliou.

Segundo Richa, ele foi "importantíssimo" como vice do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Primeiro, para ajudar a superar as resistências de alguns setores econômicos ao petista. E, depois, ao revelar-se uma voz crítica a apontar os erros do governo do qual ele fazia parte", afirmou. "Um lutador infatigável. Exemplo de obstinação para todos os que buscam objetivos maiores". (Colaborou Evandro Fadel)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.