Análise: somente 11% dos distritos paulistanos não têm favelas

Embora muitas dessas regiões com “habitações subnormais” já tenham recebido equipamentos e serviços públicos para ampliar seu grau de urbanização, há ainda um enorme desafio pela frente

Mauricio Broinizi Pereira, Coordenador-geral da Nossa São Paulo

24 de setembro de 2016 | 19h45

Em apenas 11 dos 96 distritos da capital não há favelas, de acordo com o Mapa da Desigualdade da Rede Nossa São Paulo. Embora muitas dessas regiões com “habitações subnormais” (classificação do IBGE) já tenham recebido equipamentos e serviços públicos para ampliar seu grau de urbanização, há ainda um enorme desafio pela frente. É preciso dotar esses bairros de infraestrutura para melhorar a qualidade de vida de cerca de 10% (mais de 360 mil) dos domicílios. Além disso, reduzir o déficit habitacional.

O Plano de Metas da atual gestão previa 55 mil moradias. A Prefeitura informa que viabilizou pouco mais de 51 mil unidades, sendo 12,5 mil entregues, 23,6 mil em construção e 15,1 mil licenciadas. Assim, a cidade seguirá computando seu déficit, o que só reforça a desigualdade extrema no Município.

Com a diminuição dos investimentos do Minha Casa Minha Vida, os recursos dependerão mais ainda do Orçamento municipal – para onde deveriam olhar os candidatos que prometem diminuir os tributos e ampliar os programas sociais. Há que se buscar o adensamento de moradias no centro e, no mesmo sentido, evitar o prolongamento da mancha urbana para os extremos sul (áreas de mananciais) e Norte (Cantareira). 

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEMinha Casa Minha Vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.