Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Analisaremos hoje medidas a tomar sobre divulgação da gravação da presidente, diz Cardozo

Na avaliação do advogado-geral, o conteúdo da gravação não poderia ter sido divulgado sem a autorização do Supremo Tribunal Federal

Eduardo Rodrigues, Anne Warth, Carla Araújo, Lorenna Rodrigues e Adriana Fernandes, Brasília

17 de março de 2016 | 11h42

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, disse há pouco que a cúpula jurídica do governo irá analisar hoje quais medidas devem ser tomadas com relação à divulgação ontem de uma conversa privada entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente e novo ministro da casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva.

"Falei com a presidente Dilma e com o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, e nos parece que há uma evidente ilegalidade na divulgação da gravação", disse Cardozo após cerimônia de posse dos novos ministros no Palácio do Planalto.

Na avaliação do advogado-geral, o conteúdo da gravação não poderia ter sido divulgado sem a autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). "O teor da ligação não tem nenhuma ilegalidade", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.