Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Analisaremos hoje medidas a tomar sobre divulgação da gravação da presidente, diz Cardozo

Na avaliação do advogado-geral, o conteúdo da gravação não poderia ter sido divulgado sem a autorização do Supremo Tribunal Federal

Eduardo Rodrigues, Anne Warth, Carla Araújo, Lorenna Rodrigues e Adriana Fernandes, Brasília

17 de março de 2016 | 11h42

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, disse há pouco que a cúpula jurídica do governo irá analisar hoje quais medidas devem ser tomadas com relação à divulgação ontem de uma conversa privada entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente e novo ministro da casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva.

"Falei com a presidente Dilma e com o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, e nos parece que há uma evidente ilegalidade na divulgação da gravação", disse Cardozo após cerimônia de posse dos novos ministros no Palácio do Planalto.

Na avaliação do advogado-geral, o conteúdo da gravação não poderia ter sido divulgado sem a autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). "O teor da ligação não tem nenhuma ilegalidade", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.