"Analfabetismo funcional é um problema mundial", afirma educador francês

O educador francês Gerard Vergnaud afirmou ser crescente o número de pessoas que, embora frequentem escolas, não conseguem ler e interpretar textos, o chamado analfabetismo funcional. ?É um problema enfrentado em várias partes do mundo, incluindo Brasil e França?, admite. Ele afirma que, entra as causas do analfabetismo funcional estão a miséria dos estudantes, a falta de capacitação dos profissionais e até mesmo problemas familiares, como a separação dos pais. ?O desejo de aprender não é uma característica individual, apenas. Ele também é adquirido no ambiente, através das relações com pais, avós, tios?, afirma. ?Quanto menor esse contato, maior o risco de esse desejo não ser totalmente explorado.? Outros fatores constatados na França, completa, são o grande número de imigrantes e, em conseqüência, o hábito de se falar outro idioma em casa. Considerado como um dos especialistas do pós-construtivismo, Vergnaud veio ao Brasil para participar da 3.ª Conferência Nacional de Educação, realizada em Brasília até sexta-feira. De acordo com a deputada Esther Grossi, presidente da Comissão de Educação, Cultura e Deporto da Câmara dos Deputados, existem no País cerca de 5 milhões de analfabetos funcionais. Além disso, 15 milhões de analfabetos com mais de 15 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.