Analfabetismo cai para 9% da população no País

O Ministério da Educação informou hoje, através da Agência Brasil, que no próximo censo que será divulgado no final deste ano, a porcentagem de analfabetos sobre a população total do País cairá para 9% contra os 15%, levantados em 1996, última estatística do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A superintendente-executiva do Programa Alfabetização Solidária, Regina Esteves, esclareceu que os 15 milhões de brasileiros levantados pelo IBGE são aqueles completamente analfabetos, "que não reconhecem as letras". Regina falou sobre o trabalho realizado pelo programa, uma organização não-governamental, que conseguiu envolver toda a sociedade, do cidadão comum até o grande empresário e governos, federal e estaduais, para acabar com o analfabetismo. A especialista explicou também que em cinco anos o programa atendeu 2,4 milhões de alunos. "Começamos com 9 mil alunos e neste ano estamos atendendo 910 mil",informou Regina, sugerindo que a sociedade brasileira como um todo tem de comemorar o sucesso do programa. Advertiu, no entanto, que "a oferta de educação às pessoas não-alfabetizadas ainda é insignificante perante a parcela de pessoas que ainda devem ser alfabetizadas".O programa implantou cursos supletivos públicos para educação de jovens e adultos em 74% dos mais de 1.500 municípios brasileiros que estão sendo atendidos. Para Regina Esteves, a redução ou exclusão total do analfabetismo só será realizada com o aumento do número de matrículas na modalidade educação de jovens e adultos. Ela atribui o alto índice de analfabetismo à ausência de uma política adequada a esse público, mas alerta que o analfabetismo não será resolvido com uma campanha de alfabetização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.