Anaconda remove três prisioneiros por "conduta indisciplinada"

Três réus da Operação Anaconda foram removidos na tarde desta quinta-feira da Custódia da Polícia Federal em São Paulo para outras prisões por ordem da desembargadora Therezinha Cazerta, que preside processo criminal contra suposta quadrilha para tráfico de influência, corrupção e venda de sentenças judiciais.Norma Regina Emílio Cunha, ex-mulher do juiz João Carlos da Rocha Mattos ? apontado como mentor de organização criminosa ? foi levada para uma cela individual na Penitenciária Feminina da Capital. O delegado federal José Augusto Bellini foi transferido para a Custódia da PF em Florianópolis (SC) e o agente César Herman para a prisão da PF em Goiânia (GO).Therezinha Cazerta atendeu requerimento da procuradora da República Janice Ascari, que conduz a investigação sobre o grupode policiais, empresários, advogados e magistrados envolvidos no escândalo. Janice apurou que na cadeia federal em São Pauloos acusados vinham apresentando "comportamento indisciplinado". Faziam uso de celulares e dispunham de outras regalias.O processo da Anaconda está em fase de instrução no Tribunal Regional Federal. A sentença deverá ser dada até junho. São 12 acusados, entre eles três juízes ? um deles, Rocha Mattos, foi capturado em 7 de novembro. Em março, ele foi removido para a PF em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.