Ampliação do Luz para Todos exigirá RS 6 bilhões a mais

Com a ampliação, programa beneficiará mais 1 mi de residências, com a meta se elevando de 2 mi até dezembro

Gerusa Marques, da AE

14 de abril de 2008 | 19h14

O aumento de 50% no alcance do programa Luz Para Todos, dando acesso à energia elétrica a 15 milhões de pessoas até 2010, contra a meta anterior de 10 milhões até dezembro próximo, exigirá investimentos adicionais de R$ 6 bilhões. A informação foi dada nesta segunda-feira, 14,  pelo novo diretor do programa, Hélio Morito, logo após ser empossado no cargo, no Ministério de Minas e Energia.  Tais recursos se somarão aos R$ 12,7 bilhões antes previstos, dos quais R$ 7,8 bilhões, equivalentes a 61,4%, são financiados pelo governo federal com recursos de dois fundos formados pela contribuição paga pelos consumidores nas contas de luz, o CDE e RGR. Os governos estaduais contribuem com R$ 1,4 bilhão e os R$ 1,6 bilhão restantes são bancados pelas concessionárias de energia elétrica e cooperativas de eletrificação rural. O novo diretor do programa não detalhou a divisão dos recursos adicionais. Com a ampliação, o Luz para Todos beneficiará mais 1 milhão de residências, com a meta se elevando de 2 milhões até dezembro para 3 milhões de domicílios em 2010. Morito explicou que a extensão do programa se deveu, entre outras razões, ao retorno de muitas pessoas ao campo e ao fato de ter sido montado sobre dados do IBGE de 2000, o que levou ao crescimento da quantidade de pessoas sem acesso à energia elétrica. Iniciado em 2003, o programa será concluído este ano em nove Estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina,São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Sergipe). Em 2009, estará concluído em outros cinco (Minas Gerais, Goiás, Paraná, Ceará e Alagoas) e em 2010 nos estados restantes. Em seis anos, até o final de 2007, o Luz para Todos realizou 1,436 milhão de ligações elétricas, beneficiando 7,5 milhões de pessoas, quase a metade delas no Nordeste. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, enfatizou que a cerimônia de posse de Hélio Morito teve o objetivo de comemorar a nova etapa do programa. " Espero que a energia elétrica seja farta e cada vez mais barata", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
Luz Para Todos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.