Amorim comemora vitória de Kirchner

O ministro da Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou que apesar de ter sido "um pouco inesperada" a maneira como se deu a vitória de Néstor Kirchner para a presidência da Argentina, o resultado trouxe "muita satisfação ao Brasil". "O presidente eleito já expressou claramente a sua prioridade com o Mercosul e com as relações com o Brasil. Isso só pode nos dar satisfação", disse o ministro, que participou de solenidade para a instalação da Comissão Nacional Permanente do Tratado de Cooperação Amazônica. Amorim disse ainda, ao ser questionado sobre sua expectativa para o Mercosul, com a vitória de Kitchner, que espera "tudo o que o Mercosul merece" e que o Mercado Comum avance em muitas questões que "ficaram atrasadas". Amorim não quis comentar notícias divulgadas hoje pela imprensa de substituição do subsecretário para Assuntos Econômicos, de Integração e Comércio Exterior, Clodoaldo Hugueney. (Renata Veríssimo)Troca de negociador da AlcaO ministro esquivou-se de confirmar informação publicada pela Folha de S. Paulo segundo a qual o embaixador Álvaro Alencar substituiria o embaixador Clodoaldo Hugueney no posto de subsecretário-geral de Assuntos de Integração, Econômicos e de Comércio Exterior do Itamaraty. Amorim valeu-se da presença da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, para desviar-se de perguntas feitas por jornalistas. Clodoaldo Hugueney já pediu a Amorim seu afastamento das negociações para criação da Alca, que serão conduzidas pelo embaixador Carlos Alberto Simas Magalhães. Hugueney restringiria sua área de ação às questões relativas à Organização Mundial do Comércio (OMC), envolvendo tanto a Rodada Doha quanto as controvérsias do Brasil na organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.