Sebastiao Moreira/EFE
Sebastiao Moreira/EFE

Amoêdo cobra que Bolsonaro coloque pauta liberal em prática: 'Está aí há tanto tempo e não fez'

Candidato derrotado na corrida presidencial deste ano elogiou as escolhas do presidente eleito para os ministérios

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2018 | 09h01

Candidato derrotado à Presidência nas eleições 2018, João Amoêdo (Novo) disse nesta quarta, 14, que o eleito Jair Bolsonaro (PSL) precisa colocar em prática a pauta liberal - bandeira do Novo e presente nos discursos do presidente eleito. O quinto colocado na corrida eleitoral disse esperar que, com o economista Paulo Guedes como ministro da Economia, Bolsonaro faça o que "há tempo na área pública" ele não fez. Ele elogiou os nomes confirmados pelo presidente eleito para seus ministérios até aqui.

"Tenho achado positivas até o momento as escolhas dos membros dos ministérios", disse à Rádio Eldorado. "Ele (Bolsonaro) avança bem nisso. Mas minha preocupação sempre foi o fato de que ele é uma pessoa que está na área pública há tanto tempo e nunca colocou a pauta liberal. Minha é dúvida é a colocação disso em prática agora, já que nos passado ele não fez. Vamos ver se com o apoio do Paulo Guedes, ele coloca isso em prática. Todos querem ver o País voltar a crescer."

Amoêdo também cobrou uma gestão "equilibrada" por parte de Bolsonaro. Ele quer que o presidente ouça as críticas para melhorar seu trabalho. "É uma questão de estilo. De tentar acabar com a divisão da sociedade, do nós contra eles, o discurso do PT. Temos que voltar a uma gestão equilibrada. As críticas devem ser bem-vindas para melhorar o que é feito. Esse é o caminho que ele deveria seguir, mas na campanha não foi bem assim. A polarização estava muito forte. Espero que isso mude."

O empresário reforçou que a bancada do Novo na Câmara (o partido elegeu oito deputados federais) adotará uma postura independente em relação ao governo Bolsonaro, mas que vai colaborar com pautas como a reforma da Previdência, privatização de empresas públicas e de medidas que visem equilíbrio das contas e incentivem o empreendedorismo. "Não apoiaremos necessariamente todas as pautas de Bolsonaro. A gente se posiciona em função de princípios e valores. Teremos uma postura independente".

Amoêdo disse que está empenhado em ajudar o governador eleito de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), na construção de sua equipe de governo e que ainda não traça planos eleitorais para o futuro. Ele negou rumores de que possa estar pensando em mudar seu domicílio eleitoral do Rio de Janeiro para São Paulo mirando as eleições municipais na capital paulista em 2020. 

"Tenho ajudado na escolha dos nomes do secretariado e para montar uma equipe que tenha um bom desempenho.  Não penso em nada disso (se candidatar a prefeito de São Paulo). Minha ideia é ajudar o Zema no que for possível e ajudar o partido. É cedo para pensar em plano eleitoral. Não estou pensando em nada nesta linha. Não sei nem de 2022. Não tem projeto pessoal."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.