Amigos homenageiam Roberto Marinho em missa de 7º dia

Terminou por volta de meio-dia a missa de sétimo dia do jornalista Roberto Marinho, fundador das Organizações Globo, realizada na Igreja da Candelária, Centro do Rio. A missa contou com a presença de atrizes e atores da TV Globo e personalidades. Representando a governadora do Rio, Rosinha Matheus, o vice-governador, Luiz Paulo Conde, observou que Roberto Marinho foi "um grande cidadão, um grande homem, um grande empresário". Ele considerou a importância que o jornalista teve para o desenvolvimento dos meios de comunicação no Brasil. Muito emocionada, a empresária Lucinha Araújo, mãe do cantor Cazuza, não tirou os óculos escuros durante toda a cerimônia. "Tudo o que poderia ser dito sobre ele já foi dito. O Brasil perdeu um homem inestimável. Só espero que possamos substituí-lo", disse. Durante a missa, os netos Rodrigo, Paulo e Roberto leram um texto escrito por eles em homenagtem ao avô. A cerimônia durou aproximadamente uma hora. Ao redor da Candelária, cerca de 100 pessoas se aglomeravam esperando ver as personalidades saírem da missa.Marco Maciel comparece à missaO ex-vice-presidente Marco Maciel afirmou que ainda é muito cedo para pensar em ocupar a vaga do jornalista Roberto Marinho na Academia Brasileira de Letras. Maciel compareceu à missa de sétimo dia do jornalista, na Igreja da Candelária. Ele é apontado como um dos prováveis candidatos à cadeira de Marinho na ABL. "Acho que a lembrança do meu nome é uma demonstração de apreço. Mas, sei que o Brasil tem excelentes figuras e excelentes quadros. Não quero fazer nenhum comentário sobre isso porque não é o momento. Vim aqui orar pelo dr. Roberto", disse. Na missa também estava presente a escritora e membro da ABL, Nélida Piñon, que não fez comentários sobre a disputa pela vaga na ABL. A escritora apenas elogiou a figura de Roberto Marinho. "Acho que nos falta uma perspectiva histórica para avaliar seu desempenho (de Marinho) na História do Brasil. Ele foi uma pessoa maravilhosa, gentil e generosa", disse. O presidente da Fiesp, Horácio Lafer Piva, saiu da igreja acompanhado da empresária Viviane Senna. Para Piva, Marinho foi "um homem extraordinário que prestou um grande serviço para a educação e a cultura brasileira". "Ele formou uma TV de rara qualidade e merece todas as homenagens que estão sendo prestadas", completou o empresário. Também assistiram à missa os apresentadores de TV, William Bonner e Fátima Bernardes, que não deram entrevistas à saída da igreja; a atriz Betty Faria e o ex-presidente do BNDES, Eleazar de Carvalho Filho.?Marinho foi tão influente quanto Chateaubriand?, diz TassoOs senandores do PSDB, Arthur Virgílio e Tasso Jereissati, também participaram da missa. Para Tasso, Marinho fez uma obra no setor de comunicações que ultrapassou o Brasil e fez com que a televisão brasileira ficasse conhecida em 132 países. "Ele era um homem excepcional. Conseguiu ser tão influente quanto Chateaubriand (jornalista Assis Chateaubriand, fundador da rede de jornais Diários Associados) com muito mais construtividade pelo País." Ele observou que Marinho foi importante não só para o setor de comunicações como também para a política do Brasil. "Quem fez política nesse País e não passou pelo Roberto Marinho talvez não tenha aproveitado a capacidade que ele tinha de otimizar sua participação na vida pública no Brasil." Para Virgílio, Marinho foi "um personalidade única e preparada para o poder que teve." Ele considerou ainda que o jornalista nunca aparentou "a arrogância que é tão comum em pessoas poderosas. Sempre foi humilde."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.