Amigos e políticos lembram carreira de Marcelo Déda

Governador de Sergipe morreu na madrugada desta segunda, aos 53 anos, em São Paulo

Ampliado às 11h20, José Roberto Castro - Agência Estado

02 Dezembro 2013 | 09h13

São Paulo - Amigos e aliados manifestaram pesar pela morte do governador de Sergipe Marcelo Déda (PT), ocorrida na madrugada desta segunda-feira, 2, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Em mensagens no Twitter, lembraram a atuação política do petista. A presidente Dilma Rousseff declarou ter perdido um "grande amigo". 

Para o ministro do Desenvolvimento Fernando Pimentel (PT), Déda era um "guerreiro da democracia e da justiça social". O deputado do PSOL Chico Alencar (RJ) lamentou a perda do amigo e lembrou do debate em "alto nível" e a relação de afeto entre os dois, mesmo depois que Alencar deixou o PT. "Déda sempre foi um cara pra cima, inteligente, sensível, animado. 'Parte fora do combinado' com apenas 53 anos, depois dessa última batalha que travou, contra o câncer", escreveu.

Déda começou a vida política ainda na década de 1970, no movimento estudantil. Participou da fundação do PT e foi eleito pela primeira vez em 1986, a deputado estadual.

Com uma foto do governador no perfil, o ex-presidente do PT José Eduardo Dutra lembrou do dia em que recebeu, ao lado do amigo, a notícia da morte de seu pai. "Há 12 anos, a essa hora, recebi a noticia da morte de meu pai. Estava no Encontro do PT, em Recife. Eu e Déda estávamos no mesmo apartamento. Hoje, o telefone tocou novamente. E a dor é tão grande quanto naquele dia. Só que agora não tem ninguém pra me consolar. Adeus, meu amigo!"

Dutra lembrou ainda que a única diferença "insuperável e definitiva" entre eles era o futebol. Déda era flamenguista e Dutra é torcedor do Botafogo.

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PSB) desejou conforto à família. O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), destacou a carreira política do governador: "Uma das pessoas mais talentosas que conheci".

Veja outras mensagens sobre a morte de Marcelo Déda:

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL): "Déda foi um grande quadro do PT e um expoente da política nacional, tendo atuado bravamente na discussão dos grandes temas de Sergipe e do Brasil. Homem culto e de personalidade admirável, era dono de um carisma e de uma eloquência cativantes e de uma força notável". 

Líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM): "Todos nós brasileiros lembraremos dele como um homem jovem, que dedicou 30 anos de sua vida para a política e para um país mais justo, um país do diálogo. Meu abraço apertado também para todo o povo do Sergipe"

Governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB): "O Brasil perde não somente o governador do Sergipe, mas um de seus mais corretos e éticos servidores da população".

Governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB): "Venho me solidarizar com o povo sergipano e com os familiares de Marcelo Déda, por essa perda irreparável. Ele deixa um legado de muito trabalho e dedicação por Sergipe, sua terra natal".

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB): "Com tristeza que recebi a notícia do falecimento do governador Marcelo Déda, homem que dedicou sua vida à causa pública e ao progresso de Sergipe. Transmito os sentimentos a seus familiares, amigos e a todos os sergipanos".

Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT): “É com muita tristeza que recebo a notícia do falecimento do governador e companheiro de partido Marcelo Déda. Registro minha solidariedade e desejo força à família neste momento difícil. O país perde um homem público de valor inestimável, cuja vida foi dedicada à construção de uma sociedade mais justa e fraterna”.

Prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM): "Um político jovem e, em plena maturidade, que teve a vida interrompida por uma doença que afeta milhões de pessoas no mundo e que deixa o Estado de Sergipe sem o brilhantismo e a determinação de alguém que desde os 15 anos despertava por acreditar e lutar por seus sonhos e ideais".

Deputada Manuela D'Ávila (PC do B-RS): "Muito triste com a morte do companheiro Marcelo Déda: homem brilhante, alegre, contribuiu muito com o Brasil. Dos melhores que ouvi falar. Déda lutou bravamente por sua saúde como lutou por suas idéias sempre: com sorriso no rosto e muita fé. Descanse em paz, companheiro".

Mais conteúdo sobre:
Marcelo Déda

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.