Amigos dizem que Itamar vai rever desistência

Políticos e amigos pessoais do ex-presidente e ex-governador Itamar Franco já dão sinais de que ele poderá rever a decisão de desistir da indicação para a Embaixada do Brasil em Roma. "Em política você nunca diz que tudo está definitivo", disse o deputado Marcello Siqueira (PMDB-MG), que esteve reunido com Itamar ontem à tarde, em Belo Horizonte. O ex-governador mineiro também ganhou ontem alguns afagos do governo federal. Enquanto em Brasília o porta-voz do Palácio do Planalto, André Singer, disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não recebeu de Itamar nenhuma comunicação sobre a decisão, na capital mineira, o secretário-geral da Presidência, Luiz Soares Dulci, afirmou que se o ex-presidente mudar de idéia será "uma honra para o Brasil e para Minas". "O Itamar nunca age apenas psicologicamente e ele tem razão de reclamar da votação no Congresso. Queremos que ele assuma a embaixada, será uma honra para o Brasil e para Minas. É natural que a oposição derrotada nas eleições queira retaliar o ex-governador", afirmou Dulci, que se dispôs a conversar pessoalmente com o ex-presidente.O ex-embaixador José Aparecido de Oliveira disse que Itamar recebeu um telefonema do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. O teor da conversa não foi revelado. "Tenho a impressão que ele vai ponderar consigo mesmo", afirmou Oliveira, que também participou da reunião com o ex-presidente, mas não quis opinar se Itamar está ou não inclinado a voltar atrás. A desistência de Itamar do cargo foi feita por meio de uma carta, datada do último dia 16 e encaminhada ao chanceler brasileiro, ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e ao senador Pedro Simom (PMDB-RS). Ele estaria descontente com o placar apertado com que sua indicação foi aprovada pelo Senado - 29 votos a favor e 25 contra - atribuindo boa parte dos votos desfavoráveis a uma falta de empenho do governo federal. Em mais uma prova de que Itamar ainda tem interesse na função diplomática, Marcello Siqueira atacou ontem o ex-deputado e jornalista Márcio Moreira Alves, cotado como substituto para o posto. "Ele está todo dia no plenário da Câmara fazendo lobby", disse. "Tem gente querendo jogar areia, piorar a situação, principalmente outras pessoas que estão querendo o cargo". Fiel a seu estilo, Itamar continua fazendo mistério e ontem manteve o silêncio sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.