Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Amigo de Lula é demitido da área de comunicação da Petrobrás

Wilson Santarosa, de 65 anos, indicado ao posto por ex-ministro do PT, foi citado em auditoria sobre corrupção na estatal

Fernanda Nunes e Antonio Pita, O Estado de S. Paulo

19 de março de 2015 | 16h35


Atualizado às 22h28

Um dos principais nomes do PT na cúpula da Petrobrás, o sindicalista Wilson Santarosa, de 65 anos, foi demitido nesta quinta-feira, 19, da gerência de Comunicação Institucional da companhia. Santarosa ocupava o cargo desde 2003. Era amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e chegou à gerência por indicação do ex-ministro Luiz Gushiken. O ex-gerente era responsável pela verba de patrocínio e publicidade da estatal, que no último ano chegou a R$ 1,3 bilhão. Santarosa entrou na empresa aos 25 anos de idade.

O nome do ex-gerente, que também ocupou a presidência do Conselho Deliberativo da Petros, fundo de previdência da estatal, foi citado em auditorias internas da Petrobrás. Uma das denúncias apontou envolvimento de Santarosa com esquema suspeito de fabricação de dossiês contra políticos tucanos, em 2006. A distribuição de patrocínios da estatal também foi questionada em relatório da Controladoria-Geral da União de 2009. O texto indicava irregularidades no repasses a ONGs e favorecimento partidário. 

A resistência a Santarosa na companhia começou na gestão de Graça Foster. A executiva já havia diluído suas atribuições, em 2012, quando reestruturou funções na cúpula da empresa. Na ocasião, os ex-diretores Renato Duque, Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró foram afastados da estatal. 

A gerência será assumida interinamente por Luis Fernando Nery. Internamente, ele é considerado o braço direito do ex-gerente. Em 2012, esteve envolvido em uma polêmica relacionada ao patrocínio das escolas de samba. Sua mulher, Patrícia Nery, foi nomeada rainha de bateria da Portela, posto que ocupa até hoje, mesmo não sendo conhecida da comunidade. A Petrobrás patrocinou a escola. 

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásWilson Santarosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.