América Latina terá indicador de violência contra a mulher

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) vai criar um indicador para medir a violência contra a mulher. De acordo com o organismo das Nações Unidas (ONU), não existem hoje mecanismos legais adequados para acompanhar nem verificar o cumprimento de sanções em casos de violência contra a mulher. "Esta carência, entre outros problemas na aplicação de leis, deixa em evidência a necessidade de contar com informação confiável para formular políticas públicas", diz a Cepal. A Unidade da Mulher e Desenvolvimento do organismo preparou o documento "Violência contra a mulher na sua relação de casal: América latina e Caribe. Uma proposta para medir sua magnitude e evolução". Segundo a Cepal, o estudo propõe um conjunto de indicadores que permitam mostrar a dimensão e as principais características da violência contra as mulheres. O objetivo é que esses indicadores sirvam de ferramenta para conhecer o problema e fazer com que os governos possam criar programas adequados. O conjunto de indicadores deve mostrar informações quantitativas e válidas para a inclusão desse tema na agenda pública, na execução de programas, no acompanhamento das políticas e na prestação de contas à população. Também serão sugeridas mudanças institucionais para que o andamento desse conjunto de indicadores se integre ao processo de institucionalização das políticas públicas com enfoque de gênero.

Agencia Estado,

26 Julho 2002 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.