Ameaçado de morte, deputado Marcelo Freixo deixa País

Parlamentar carioca, que inspirou personagem do filme Tropa de Elite 2, presidiu inquérito na Assembleia do Rio contra ação de milícias no Estado

Pedro Dantas, da Agência Estado

31 de outubro de 2011 | 10h28

RIO DE JANEIRO - Depois de sete ameaças de morte recebidas nos últimos 35 dias, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) anunciou que vai deixar o País a convite da Anistia Internacional. Ele espera regressar em menos de um mês até que sejam feitos ajustes em sua segurança pessoal. Freixo presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito das Milícias e inspirou o personagem do filme Tropa de Elite 2.

Uma das principais ameaças foi detectada pela Coordenadoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública. De acordo com uma denúncia, o ex- policial militar Carlos Ary Ribeiro, o Carlão, teria recebido R$ 400 mil para matar o deputado. As milícias são grupos paramilitares formados por policiais, bombeiros e agentes penitenciários, que cobram por uma suposta proteção e serviços em comunidades carentes do Rio. A Secretaria de Segurança Pública do Estado ainda não se manifestou sobre o assunto.

O caso foi informado no início deste mês. "Recebemos vários informes do Disque Denúncia. Plano identificado pelos serviços de inteligência não aparecia há algum tempo. Mas a coisa piorou desde a morte da juíza Patricia Acioly. As ameaças aumentaram. Se fizeram com uma magistrada, por que não fariam com um deputado?", questionou o parlamentar na ocasião, em ofício enviado à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Tudo o que sabemos sobre:
ameaçamortedeputadoMarcelo Freixo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.