Ambientalista lança campanha

No Dia Mundial do Meio-Ambiente, o ambientalista Carlos Bocuhy disse que "a Cetesb precisa recuperar seu status de agência de controle ambiental de proteção da saúde pública", durante entrevista concedida esta manhã à Rádio Eldorado AM/FM de São Paulo. Segundo Bocuhy, "a Cetesb conta com um excelente corpo técnico, mas ela vem sendo ao longo do tempo dilapidada no seu posto técnico e vem se tornando uma agência que acaba indo para as ações no pólo passivo, como ré, como no caso da Shell, da Vila Carioca e outros", analisa.O ambientalista ainda falou sobre a campanha "Chega de Poluição", coordenada por ele com apoio de organizações não-governamentais. A campanha tem como foco a população do entorno do Pólo Petroquímico de Capuava, que fica na divisa entre os municípios de Santo André e Mauá, na Grande São Paulo, e a região de Sapopemba, na zona Leste da Capital. Segundo ele, em nenhum local do mundo é registrada tal proximidade entre a população e um pólo petroquímico. "Naquela região, a população vem sofrendo um grande impacto da poluição decorrente da Região Metropolitana e, principalmente, das atividades do pólo", afirma.O objetivo da campanha é alertar a população do entorno do pólo e cobrar do poder público um programa de controle de poluição para salvaguardar a saúde pública na região. Bocuhy explica que, como representantes da sociedade civil, cabe aos ambientalistas promover ações de conscientização e encaminhar representações às autoridades compentes, como medidas concretas. "Está sendo feita uma representação de mais de 40 organizações governamentais ao Ministério Público e ao secretário do Meio Ambiente pedindo providências para o caso. Nós temos desenvolvido um diagnóstico preliminar de pesquisa junto à população sobre a questão da saúde pública no local e estão sendo veiculados jingles em rádios da região", conta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.