AMB repudia declarações de Lula sobre Justiça Eleitoral

AMB repudia declarações de Lula sobre Justiça Eleitoral

Em resposta à declaração de Lula nesta quinta, Mozart Valares manifesta repudio da AMB

Gustavo Uribe, da Agência Estado

09 de abril de 2010 | 17h43

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Mozart Valadares Pires, divulgou nota nesta sexta-feira, 9, em que repudia as declarações feitas na noite desta quinta, 8, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante evento do PCdoB para oficializar o apoio à candidatura da pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Pires salientou que nenhum cidadão "tem o direito de infringir" a Lei Eleitoral, sendo ele presidente da República ou não. "O que o presidente precisa saber é que todos estão subordinados à legislação brasileira", ressaltou.

 

No ato político promovido na quinta, Lula garantiu que fará "campanha na rua" por Dilma e afirmou que os políticos brasileiros não podem "ficar subordinados" aos juízes nas eleições. "Não podemos permitir que nosso destino fique correndo de tribunal para tribunal", afirmou. O presidente se referiu às multas, de R$ 5 mil e R$ 10 mil, que recebeu do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em março. Em ambas as punições, Lula foi acusado de fazer campanha eleitoral antecipada em favor da candidatura de Dilma.

 

Ainda na nota, o presidente da AMB elogiou o TSE. De acordo com Pires, a Justiça Eleitoral tem "dado demonstrações de que não vai admitir infrações". "O presidente vai ter de se adaptar às regras como todos os cidadãos brasileiros", defendeu. O presidente da entidade salientou ainda que o petista não pode "utilizar a máquina pública" para pedir votos nem "favorecer sua candidata"

Tudo o que sabemos sobre:
LulaPTJustiça EleitoralAMB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.