Amazonino contesta inclusão de seu nome na 'lista suja'

A assessoria do candidato à prefeitura de Manaus pelo PTB, Amazonino Mendes, afirmou que foi impetrado habeas-corpus para trancar o processo citado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e, em razão da concessão do recurso no dia 24 de junho, "não há justificativa para o nome do candidato aparecer nessa ''lista suja''". A AMB divulgou hoje a relação dos candidatos nas eleições municipais de outubro que respondem a processos na Justiça.O processo é movido pelo Ministério Público Federal (MPF) após denúncia de Fernando Bonfim, em 1997, que se dizia testa-de-ferro do ex-governador Amazonino Mendes. Ele acusou o candidato de ser o verdadeiro dono da empreiteira Econcel, que faturou mais de 50 milhões de reais em obras públicas no Estado durante seu último governo (1999 a 2002).A Econcel teria feito diversas obras investigadas por suspeitas de fraudes e superfaturamento. Entre elas estão a reforma de um posto de fiscalização da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e a recuperação do estádio Vivaldo Lima, em Manaus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.