Amaral volta a pedir retomada do programa nuclear brasileiro

O ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, defendeu hoje a retomada de investimentos no programa nuclear brasileiro e o domínio da tecnologia para a produção de submarinos movidos a energia atômica. Repetindo um raciocínio comum na área militar, ele disse que uma estrutura adequada de "defesa" é condição necessária para o País manter a paz. Amaral falou na abertura do seminário Tecnologia Nuclear ? Soberania e Desenvolvimento, na Câmara. Ele enfatizou que o objetivo do programa nuclear brasileiro é pacífico e busca avançar no uso civil desse tipo de conhecimento para a geração de energia e a realização de exames na medicina. Em janeiro, nos primeiros dias após a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Amaral provocou polêmica e surpreendeu o governo ao declarar que o Brasil não deveria "renunciar a nenhum conhecimento científico", incluindo o necessário à construção da bomba atômica. A repercussão do caso assustou a comunidade internacional, especialmente a vizinha Argentina, e abriu caminho para Amaral ser incluído, a partir daí, em todas as listas de prováveis ministros que perderão o cargo na reforma ministerial prevista para o fim do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.