Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Ex-sócio de Eduardo Campos deixa de cargo em Pernambuco após operação Politeia

Empresário Aldo Guedes Álvaro já era investigado por suspeita de ser o dono do jatinho usado na campanha do ex-governador e era presidente da Companhia Pernmabucana de Gás

Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

14 de julho de 2015 | 20h01

Brasília - Alvo de mandado de busca e apreensão executado pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira, 14, no Recife, o empresário Aldo Guedes Álvaro pediu afastamento do cargo de presidente da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), empresa de capital misto que tem participação do governo de Pernambuco.

Policiais federais estiveram na casa do empresário e em uma de suas empresas, a Jacarandá Negócios e Participações. A ação faz parte da Operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção envolvendo a Petrobrás. Álvaro era sócio de uma fazenda do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), morto em um acidente aéreo em agosto do ano passado.

A Polícia Federal já investigava se Álvaro era o verdadeiro dono do avião, que caiu em 13 de agosto de 2014 em Santos (SP).

O empresário pediu afastamento do cargo na Copergás "para preservar os interesses da companhia". A informação foi divulgada pelo governo de Pernambuco em nota no início da noite.

Aldo Guedes não retornou as ligações da reportagem. Em nota, o governo de Pernambuco informou que "confia na correção de Aldo Guedes e está certo de que ele dará os devidos esclarecimentos sobre os fatos que lhes estão sendo imputados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.