Alvo da PF, mineradora de Dantas nega irregularidades

Órgão rastreia atividades de Dantas em áreas de mineração, supostamente localizadas em terras de preservação

MÔNICA CIARELLI, Agencia Estado

21 de julho de 2008 | 18h35

A empresa de mineração do banqueiro Daniel Dantas, a GME4, citada nas investigações da Operação Satiagraha, da Polícia Federal (PF), informou nesta segunda-feira, 21, em nota, que tem atualmente 402 direitos minerários, distribuídos em 13 Estados, sendo que as áreas do Pará representam 9% do total de ativos, e respeita "integralmente" as legislações ambiental e indígena. Os investimentos do banqueiro no setor estão no alvo da PF. O órgão rastreia as atividades de Dantas em áreas de mineração no Pará, supostamente localizadas em terras de preservação ambiental e reservas indígenas.     Veja também: Juiz aceita denúncia e Daniel Dantas vira réu por corrupção ativa Entenda como funcionava o esquema criminoso  Veja as principais operações da PF desde 2003  As prisões de Daniel Dantas Segundo o comunicado, a mineradora não detém alvará para exploração e pesquisa em áreas de preservação ambiental ou reservas indígenas. "Eventuais interferências são dirimidas pelo Departamento Nacional de Produção Mineral, como acontece rotineiramente com empresas que atuam o setor mineral", consta no texto da nota.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação SatiagrahaPFmineradora

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.