Alves justifica adiamento do orçamento impositivo

Logo após anunciar o resultado da votação que aprovou uma moção de repúdio contra o governo dos Estados Unidos, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), justificou aos demais deputados o adiamento da votação da proposta que estabelece o orçamento impositivo para as emendas individuais. Hoje, Alves conseguiu adiar a votação do projeto na Comissão Especial da Câmara que analisa o tema para o dia 6 de agosto.

RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

09 de julho de 2013 | 23h33

"Eu não quero que essa proposta, para o bem desta Casa, se torne uma queda de braço desnecessária, inexplicável, incompreensível e inaceitável", disse o presidente, que é um defensor do tema. Para Alves, o orçamento impositivo é uma medida que visa acabar com o "despudorado toma lá, dá cá que constrange o governo e humilha o parlamento". O deputado disse ainda que pretende trazer a matéria à Plenário já no dia 7 de agosto. "Eu pedi para adiar para que se possa tentar construir uma vitória consensual".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.