Alves e Temer vão de novo a Lula para tratar de ministério

O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves, afirmou nesta quarta-feira, ao dirigir-se ao Palácio do Planalto para mais uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está otimista em relação à possibilidade de seu partido ser contemplado com um quarto ministério. Alves foi à reunião acompanhado do presidente do PMDB, deputado Michel Temer."No encontro que tivemos, o próprio presidente nos disse que promoveria o equilíbrio entre a bancada do Senado, que tem dois ministros, e a da Câmara. Consideramos que esse é um assunto decidido pelo presidente", disse Henrique Alves.Na bancada do PMDB, no entanto, o clima relacionado ao tema é outro. Causou irritação o pedido insistente do Palácio do Planalto aos deputados para apadrinharem a indicação do médico José Gomes Temporão para o cargo de ministro da Saúde.Além disso, os deputados advertiram o líder de que empossar o deputado Geddel Vieira Lima (PMDB) como ministro da Integração Nacional não resolve o problema da bancada, apenas o dos nordestinos. Os deputados pediram a Geddel que, se o presidente Lula mantiver a oferta de apenas um ministério, recuse a proposta e explique que todos preferem se manter fora do Executivo nacional e numa posição de independência em relação ao governo.Henrique Alves deixou claro que não vai pressionar o presidente, mas, ao mesmo tempo, concordou com a reivindicação, lembrando que o PMDB, com 93 deputados próprios e integrante de um bloco com o PSC que totaliza 101 parlamentares, não pode ter o mesmo tratamento que PDT e o PTB, que têm apenas 20 deputados cada um.Os deputados que procuraram o líder do PMDB para tratar do assunto insistiram na tese de que, do ponto de vista numérico, ´um PMDB vale cinco PDTs´. Na terça à noite, o ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, convidou, em nome de Lula, o presidente do PDT, Carlos Lupi, para assumir o cargo de ministro da Previdência Social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.