Alves diz que fez 'o que era possível' para aprovar MPs

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse na noite desta terça-feira que a Casa fez "o que era possível" para aprovar as MPs 605 e 601 em tempo para apreciação do Senado e que é necessário respeitar a decisão do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, sobre a votação das medidas em plenário. "Que (o episódio) sirva de lição para todos nós", afirmou.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

28 de maio de 2013 | 21h53

Alves ressaltou que a Câmara "também se ressente" de votar as Medidas Provisórias em um prazo curto, já que elas passam a maior parte do tempo nas Comissões Mistas. "Acho que é uma boa oportunidade para rediscutir a metodologia, um novo rito para Medidas Provisórias", defendeu. O peemedebista informou que mandou desengavetar um antigo projeto do senador José Sarney (PMDB-AP) que trata do trâmite das medidas no Congresso.

Tudo o que sabemos sobre:
MPsvotaçãoAlves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.