Álvaro Dias cobra campanha mais crítica a Lula

O aumento da vantagem da petista Dilma Rousseff sobre seu principal rival, José Serra (PSDB), caiu como uma ducha de água fria entre os líderes tucanos. O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) cobrou ontem, em Cascavel, no oeste do Paraná, um comportamento mais crítico da campanha de Serra em relação ao governo federal.

MIGUEL PORTELA, Agência Estado

22 de agosto de 2010 | 07h53

"Acho que é hora de criar fatos novos para a campanha. Puxar o processo para si e deixar o governo Lula a reboque, e não o contrário, como acontece hoje. Na medida em que se poupam as críticas não se expõem os equívocos, falcatruas e a corrupção que há neste governo", afirmou o senador.

"Fala-se que o presidente é muito popular. Mas por que ele é muito popular? Porque as informações não chegam até a população. As informações que chegam são favoráveis ao presidente. As desfavoráveis não chegam à opinião pública porque o governo dele do ponto de vista ético é a consagração de imoralidade."

Durante a semana, a campanha de Serra já tinha sido alvo de críticas do presidente do PTB, Roberto Jefferson. No Twitter, Jefferson direcionou os ataques ao marqueteiro de Serra, Luiz Gonzalez, alvo preferencial dos aliados. "Se o Gonzalez ouvisse um pouco os políticos, não poria no ar uma favela fake, nem o bobajol do Zé", postou Jefferson, referindo-se ao programa que foi ao ar na terça, estreia da propaganda na TV. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleição 2010campanhaPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.