Álvaro Dias: 'Ainda não fui comunicado sobre um novo cenário'

Senador paranaense está na casa do presidente do PSDB, Sérgio Guerra, em Brasília

Carol Pires / BRASÍLIA, estadão.com.br

30 de junho de 2010 | 11h52

No escuro. "Ainda não fui comunicado sobre um novo cenário", admitiu o senador paranaense

 

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) ainda não foi comunicado se continua ou não como indicado do partido para ser candidato a vice-presidente na chapa puro-sangue com José Serra. Nos bastidores, porém, lideranças do DEM confirmam que o entendimento entre as duas legendas é a de que não cabe mais a indicação do senador paranaense para o cargo, uma vez que o irmão dele, Osmar Dias (PDT), já anunciou que está ao lado dos petistas na eleição.

 

Veja também:

DEM suspende encontro e espera definição sobre vice de Serra

 

"Ainda não fui comunicado sobre um novo cenário. E quem pode me comunicar algo sobre isto está aqui ao meu lado", disse ao Estado o senador Álvaro Dias, que está, neste momento, na casa do presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), em Brasília. Segundo Dias, o presidente de honra do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, telefonou há pouco para Sérgio Guerra, mas teria dito que também não tem novidades sobre as negociações em torno do vice. "Seja qual for a decisão do partido, será a minha. Sem ressentimentos", completa Dias.

 

A indicação de Álvaro Dias passou a ser aventado dentro do PSDB como uma possível solução para o impasse eleitoral no Paraná. Lá, Osmar Dias negociava, até recentemente, se seria candidato ao governo do Estado na chapa PT-PMDB-PDT ou se seria candidato ao Senado na chapa do PSDB. Diziam os tucanos que Álvaro Dias se fortaleceria se conseguisse trazer o irmão para o lado tucano. Com a confirmação contrária, Álvaro Dias perdeu força.

 

"Acho que a candidatura do Osmar Dias mudou muito o rumo das coisas. Isso é inegável. Agora, qual o produto das conversas, nós temos que esperar", afirma o vice-presidente do DEM, ACM Neto (BA). "Não foi batido o martelo de que Álvaro Dias não é mais o indicado, mas este já é o entendimento de todos", completa outro membro da cúpula do DEM.

 

O líder do partido no Senado, José Agripino Maia (RN), afirma que o acordo ainda está sendo construído. O candidato tucano, José Serra, esta em São Paulo negociando a indicação com o presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia, e o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab (DEM).

 

O único consenso, até o momento, segundo Agripino, é de que o DEM participará ativamente da escolha do vice para reverter o mal estar causado pela indicação de Álvaro Dias que foi anunciada pelo presidente do PTB, Roberto Jefferson, pelo Twitter, sem conhecimento prévio da cúpula do DEM. Não significa, porém, que o escolhido tenha que ser obrigatoriamente do DEM. "O importante é que o DEM voltou a ser protagonista na escolha", resume Agripino.

 

A Convenção Nacional do DEM, marcada para confirmar o apoio à candidatura de José Serra, estava marcada para às 8h de hoje, mas, diante do impasse, foi adiada para 13h30.

Tudo o que sabemos sobre:
Alvaro DiasPSDBJose SerraBrasilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.