Alunos da Unipalmares conseguiram emprego antes do diploma

Convênios com empresas permitiram que 6 de cada 10 alunos conseguiram trabalhar antes de receber o diploma

Da Redação,

13 de março de 2008 | 20h51

Com 87% dos alunos afrodescendentes autodeclarados, a Universidade da Cidadania Zumbi dos Palmares (Unipalmares) possibilitou que 60% dos seus primeiros formandos do curso de administração conseguissem um emprego antes mesmo de receber o diploma. Isso foi possível por meio de convênios firmados com empresas privadas, que também colaboram para o sustento da instituição com o pagamento de quantias anuais para que possam exibir suas logomarcas nas salas de aula. Veja também:Lula participa de 1ª formatura da Unipalmares  A universidade forma nesta quinta-feira, 13, sua primeira turma de administradores, com 126 alunos. Com isso, eles entrarão para a história como membros da turma com maior números de negros já graduada em uma faculdade da América Latina. A colação de grau contará com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  "Precisamos de 350 anos de escravidão, mais 120 anos pós-libertação dos escravos para atingirmos um número como esse", comemora o reitor da universidade, José Vicente. Para ele, a experiência da Unipalmares é modelo e deveria ser apropriada e aprimorada pelo Ministério da Educação (MEC) para que fosse aplicada em outros locais. Atualmente, 1,7 mil alunos estudam na Unipalmares. "É a primeira vez na história da educação brasileira que vemos uma sala de aula do ensino superior onde os negros são maioria", destaca o reitor. "É a primeira vez que temos uma universidade em que mais da metade dos professores é negro", salienta.  A Unipalmares chegou a esse grau de inclusão, de acordo com Vicente, reservando 50% de suas vagas para estudantes que se declaram negros e promovendo campanhas publicitárias voltadas para essa população. "Nossa divulgação é focada. Fazemos divulgação onde sabemos que há presença de jovens negros, escolas de samba, periferia, nos bailes."  Em entrevista à Agência Brasil, ele contou que a Unipalmares nasceu no ano 2000, fruto de projetos sociais voltados para a qualificação de negros para o mercado de trabalho. Naquele ano, 200 estudantes se matricularam no curso de administração, o único oferecido à época. Hoje a universidade tem também uma Faculdade de Direito - única recomendada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em 2007, após autorização do MEC - e, no segundo semestre, inaugurará seu curso superior de tecnologia do transporte terrestre. As informações são da Agência Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
Unipalmares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.