Alta Noroeste está sem placas para veículos

Em vários municípios da região Alta Noroeste do Estado de São Paulo, faltam placas para os veículos novos. A empresa Uber Representações, que venceu a concorrência estadual para fornecimentos de placas, apresentou preço de R$ 1,99, mas não vem mantendo as entregas em dia. Só em Andradina, o delegado de polícia da Ciretran - Circunscrição Regional de Trânsito, Wanderlei Leão, disse que existem mais de 140 veículos circulando sem placas, porque elas simplesmente não estão sendo fabricadas. Leão disse que os representantes da concessionária que efetuam o emplacamento são orientados a oferecer aos motoristas placas de alumínio, que custam cerca de R$ 25,00. "Nesses casos, o atendimento da encomenda não demora nem três dias", disse o delegado. A falta de placas está ocorrendo também em Penápolis, Birigüi, Guararapes, Pereira Barreto e Rubiácea. O delegado Getúlio Silvio Nardo, da Ciretran de Araçatuba, disse que foram necessárias várias ameaças de providências judiciais para que a entrega de placas a R$ 1,99 fosse normalizada naquele município. "Agora estamos tendo problemas apenas com placas de segunda via", afirmou Nardo. Ele também admitiu que existe uma intenção de forçar o consumidor a optar por placas mais caras. Em Araçatuba, Neusa Nunes que é gerente regional da Uber Representações, disse que a empresa assumiu responsabilidade de fornecimento das placas há apenas 50 dias, e que as demoras ocorrem porque os delegados não enviam as numerações para que se possa confeccionar placas de estoque. O delegado Getúlio Nardo disse que a desculpa é "esfarrapada", porque na sua opinião as relações de estoques são enviadas regularmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.