Almoço de líderes com Lula pode ser adiado

A insatisfação dos partidos da base com o governo poderá provocar o adiamento do almoço do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os líderes aliados, marcado para hoje na casa do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT- SP). Sem acordo e sem unidade na base, João Paulo vai avaliar nesta manhã com o presidente a conveniência do encontro de Lula com os líderes. "A reunião com o presidente pode ser improdutiva, porque a base aliada não está unificada em uma posição", afirmou o líder do PSB na Câmara, Renato Casagrande (ES), depois do jantar na casa de João Paulo, que terminou à meia noite. O presidente da Câmara chamou os líderes governistas e de oposição para um jantar para tentar um acordo que garanta a retomada das votações na Câmara, cuja pauta está trancada por 21 medidas provisórias que estão com o prazo de votação vencido.O clima foi tenso entre os aliados que cobraram a liberação de recursos do Orçamento destinados por meio de emendas parlamentares. "A base está insatisfeita com os problemas que o próprio governo criou", disse Casagrande, citando a não liberação do dinheiro das emendas como um dos problemas. "Não há execução financeira. Está faltando planejamento do governo", continuou Casagrande. Problemas maiores são identificados nas bancadas do PMDB, do PTB e do PP. A bancada do PMDB se reúne hoje às 15h para decidir se suspende ou não a obstrução que vem fazendo à votações na Casa.O deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), vice-líder do governo na Câmara, foi um dos que manifestou mais irritação com o Palácio do Planalto na saída da reunião dos líderes com João Paulo. "O governo precisa cumprir com seus deveres. É de direito dos deputados. Se o governo não faz o pagamento, se cria animosidade", disse Albuquerque, referindo-se ao dinheiro das emendas, uma das principais reclamações da base.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.