Aliança PDT-PFL para as eleições está longe de acontecer

Pedetistas e pefelistas saíram hoje tão distantes quanto entraram do encontro entre os presidentes nacionais do PDT e do PFL, respectivamente o ex-governador Leonel Brizola (RJ) e o senador Jorge Bornhausen (SC), para discutir uma aproximação visando às eleições municipais de 2004. Apesar do discurso de oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ambos reconheceram as dificuldades para estabelecer nacionalmente uma aliança entre as duas legendas. Um dos fatores contra a união é que o comando pedetista tem mais interesse em se aliar ao PMDB e, paradoxalmente, ao PT. ?As eleições municipais são comunitárias, prevalecem as preocupações dos eleitores, os problemas do dia-a-dia, os problemas locais?, disse Brizola, após um café da manhã de pouco mais de uma hora no seu apartamento em Copacabana, na zona sul, com o pefelista. ?O que estamos mostrando é que não vemos nenhuma dificuldade em que os diretórios locais se aproximem, conversem, façam um programa comum, possam olhar o município, que é onde o cidadão vive, com olhos abertos para o futuro?, afirmou Bornhausen, reconhecendo que cada diretório será respeitado na escolha das candidaturas e nada será imposto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.