Aliança do PSDB com PSB pernambucano está mantida, diz Aécio

No Estado, tucanos decidiram apoiar a candidatura da legenda presidida por Eduardo Campos, adversário do senador na sucessão presidencial

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

09 Junho 2014 | 12h29

Atualizado às 13h17

 

RIO - Pré-candidato do PSDB à Presidência de República, o senador Aécio Neves disse, na manhã desta segunda-feira, 9, que vai manter a aliança com o PSB na eleição para o governo de Pernambuco, apesar de os socialistas terem rompido com o PSDB em Minas Gerais e optado por candidatura própria.

Em Pernambuco, Estado do pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, os tucanos prometem apoiar a candidatura do ex-secretário de Fazenda Paulo Câmara (PSB). Na leitura do PSDB-PE, a aliança aumenta as chances do partido de eleger mais nomes na Câmara dos Deputados. "Não tenho motivo para mudar meus compromissos, minha palavra foi dada. Jamais sacrificaria companheiros do partido por uma candidatura à Presidência", afirmou Aécio.

Durante a entrevista, o tucano demonstrou também que não pretende se indispor com Campos, após críticas recentes feitas pelo ex-governador. "Não vou perder tempo com indelicadezas, espero que ele (Campos) possa fazer uma bela campanha, como fez um belo governo em Pernambuco", amenizou Aécio. O senador disse que o ex-governador "tem todas as credenciais para enfrentar essas eleições" e que sempre estimulou a candidatura de Campos, "ao contrário do PT".

Aécio falou à rádio por telefone. Ele estaria nesta segunda em Recife, mas cancelou os compromissos para acompanhar a mulher, Letícia Weber, e seus filhos Julia e Bernardo, que nasceram prematuros na noite de sábado, 7, e continuam em acompanhamento clínico da UTI Neonatal da maternidade Perinatal, no Rio. Nesta terça, 9, o senador participa da convenção do PSDB-MG, em Belo Horizonte, que deve formalizar a candidatura do ex-ministro Pimenta da Veiga ao governo do Estado. "Vou ficar com minha esposa, acompanhando os primeiros dias de nossos filhos, que, se Deus quiser, vão sair bem dessa e crescer fortes e saudáveis", disse Aécio.

Aposentados. O senador prometeu, se eleito, criar um novo critério para reajuste dos aposentados que leve em conta o aumento do preço dos remédios. O tucano disse que "mais quatro anos do governo do PT será dramático para o Brasil".

Mais conteúdo sobre:
eleições 2014 Eduardo Campos Aécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.