Aliados vão defender subteto de 90,25% para Judiciário

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai reunir amanhã, em almoço, os líderes da base aliada. O vice-líder do governo Vicente Cascione (PTB-SP) afirmou que os líderes levarão ao presidente a tendência verificada na base de manter o subteto para o poder Judiciário nos Estados em 90,25% do salário do ministro do Supremo Tribunal Federal. Os líderes vão argumentar que acima desse teto poderá ser aplicado imediatamente o chamado "abate teto", sistema que permitirá que os governadores cortem os salários de quem receber acima do limite. Essa segurança de aplicação do "abate teto" foi transmitida aos líderes pelo presidente do Supremo, Maurício Correa, em reunião na presidência da Câmara. "Aparentemente essa proposta é melhor para os governadores. Vamos fazer as contas", disse Cascione. Os governadores querem a manutenção do dispositivo na proposta de reforma da Previdência, já aprovada na Comissão Especial, que fixa esse subteto para o Judiciário nos Estados em 75% do salário do ministro do Supremo. Cascione afirmou que o acordo para aprovar sem modificações o relatório do deputado José Pimentel (PT-CE) era restrito à Comissão Especial e que no plenário não houve combinação ainda. "Não tenho dúvida de que o plenário vai produzir mudança", disse o vice-líder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.