Aliados tentam aproximar Serra da Zona Franca no AM

Investir na desmistificação do candidato à Presidência José Serra (PSDB) como "inimigo da Zona Franca de Manaus" será o principal objetivo dos partidos aliados no Amazonas para que o tucano consiga bem mais que os 8% dos votos válidos alcançados no primeiro turno no Estado. "Vamos trabalhar duro por Serra nesse segundo turno, pois não estamos de salto alto como a adversária (Dilma Rousseff, do PT), que sequer tem campanha no Estado", disse o senador Artur Virgílio, derrotado na disputa à reeleição ao Senado.

LIÉGE ALBUQUERQUE, Agência Estado

15 de outubro de 2010 | 18h47

Virgílio defende que a desmistificação virá de argumentos simples, pela credibilidade que ele e o deputado federal reeleito Pauderney Avelino (DEM) têm no Estado. "Não estaríamos em campanha por alguém que fosse contra a defesa da Zona Franca. Afinal, marquei minha passagem no Senado em defesa desse bem", defendeu. "Saberemos frisar que o pensamento de Serra nunca foi provinciano nem como governador de São Paulo, e não será na presidência", disse Avelino.

Junto ao DEM, liderado por Avelino, e ao PPS, representado pelo deputado estadual reeleito Luis Castro, Virgílio disse que a campanha de Serra vai ser sentida nas ruas, especialmente na capital amazonense. "Faremos pequenas carreatas, (propaganda) em outdoors e já estamos investindo em carros de som. Perdemos a conta das vezes que mandamos rodar adesivos para carros de Serra nesse segundo turno", disse.

Segundo Virgílio, os recursos para a campanha local virão da coligação nacional e de recursos dos diretórios regionais. Para o deputado Luis Castro, a campanha deverá ter um tom de: "Faça justiça ao Amazonas, faça justiça ao Artur, vote em Serra no segundo turno."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.