Aliados planejam atos de apoio a Alckmin em SP

Objetivo é mostrar que o nome de ex-governador para disputar a prefeitura paulistana é ?desejo da sociedade?

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

19 Janeiro 2008 | 00h00

O ex-governador Geraldo Alckmin vai usar manifestações de apoio à candidatura própria do PSDB à Prefeitura de São Paulo, que começam a pipocar na capital na próxima semana, fomentadas por seus aliados, como trunfo para neutralizar forças do partido resistentes à sua postulação ao cargo. A estratégia é garantir o discurso de que a candidatura do tucano é um "desejo da sociedade" - e não um projeto pessoal - e deixar lideranças do PSDB em situação desconfortável para defender o apoio à reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM). O primeiro ato está marcado para o próximo dia 28 na zona sul da cidade com a presença confirmada de Alckmin. Será um encontro com lideranças de diretórios zonais do PSDB da capital, candidatos a vereador e representantes de entidades sociais e de igrejas. No dia seguinte, haverá mobilização na zona leste. Organizado por representantes de segmentos do partido - juventude, negros, mulheres, terceira idade -, e acompanhado de perto por articuladores alckmistas, o encontro servirá para lançar um manifesto a favor de o PSDB ter candidato à prefeitura paulistana. A carta vai circular por toda a cidade em busca de assinaturas."A proposta é entregar, mais para frente, o manifesto ao diretório do PSDB na capital", diz Elias Bezerra, um dos promotores do evento e membro da Juventude no diretório municipal do PSDB. A expectativa é reunir de 150 a 200 pessoas na zona leste. Outras manifestações estão previstas para depois do carnaval.Alckmin e o governador de São Paulo, José Serra, travam uma disputa para decidir o rumo do PSDB na capital na próxima eleição. O ex-governador briga para ser candidato à prefeitura paulistana. Serra defende o apoio a Kassab, de olho na aliança com os democratas em 2010, e oferece ao colega de partido a postulação ao governo do Estado no próximo pleito - tese apoiada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Por causa desse racha, essas manifestações não encontram apoio oficial dos segmentos do partido. "No que se refere à Juventude do PSDB da capital, esse é um movimento de uma ou duas pessoas. Não encontra respaldo da maioria, que vai aguardar uma decisão do diretório para se manifestar", disse o presidente da Juventude do diretório municipal do PSDB, José Rubens Domingues Filho.Os alckmistas reagem: "Essas manifestações, espontâneas, explicitam um desejo majoritário no partido e na sociedade, que é a candidatura de Geraldo Alckmin, e mostram que não se trata de um projeto pessoal", afirmou o deputado Edson Aparecido (PSDB-SP). Organizadores das manifestações e aliados de Alckmin negam que haja vinculação entre as ações e a articulação da candidatura do ex-governador. "É uma coisa da base do partido. Eles estão pedindo que sejam feitos encontros de apoio ao Geraldo", diz o deputado Júlio Semeghini (PSDB-SP). "Defendemos a candidatura própria, independentemente de nomes", diz Bezerra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.