Aliados fazem apelo para que Itamar dispute reeleição

O governador de Minas, Itamar Franco (PMDB), recebeu um novo apelo nesta quarta-feira de aliados mineiros para que dispute a reeleição, mesmo que isso signifique bater chapa com o vice Newton Cardoso na convenção estadual peemedebista, marcada para o dia 16. Itamar, cuja decisão pode alterar as estratégias dos grandes partidos e dos principais candidatos à Presidência no Estado, segundo maior colégio eleitoral do País - sobretudo do petista Luiz Inácio Lula da Silva e do tucano José Serra - reuniu-se à tarde no Palácio da Liberdade, a portas fechadas, com parlamentares estaduais e federais do PMDB, do PDT e de outras legendas que o apóiam.Após o encontro, no qual também houve um balanço dos três anos e meio de mandato, o governador manteve mistério e preferiu adiar mais uma vez a definição de seu futuro político. Os participantes também não deram entrevistas, mas fontes ligadas ao líder do governo na Assembléia Legislativa, Antônio Andrade (PMDB), articulador da reunião, revelaram que a intenção dos aliados de Itamar, que lidera as pesquisas eleitorais em Minas, com cerca de 33% das intenções de votos, é convencê-lo a ir à convenção. Isso a despeito da relutância de Newton em repetir o que fez em 1998, quando abriu mão da candidatura pelo PMDB em favor do ex-presidente da República, contentando-se com a vaga de vice na chapa.SoluçãoNewton declarou, ontem, que o assunto da candidatura do PMDB estava encerrado e que ele é que seria o representante do PMDB na disputa. Também descartou a possibilidade de reedição da chapa encabeçada por Itamar, com ele de vice, nas eleições deste ano. Para alguns peemedebistas e também para o PT e PL - que abririam mão de candidaturas próprias no Estado caso a tese vingasse - esta solução pacificaria o PMDB e viabilizaria o apoio do governador a Lula na campanha presidencial, desde que não houvesse a coligação nacional entre os dois partidos - combatida por Itamar. "Itamar não é candidato. Deixem o homem em paz, porque senão ele se irrita", afirmou o vice, que também prometeu estar ao lado de Lula em Minas, caso o PMDB e o PSDB não formalizem a aliança nacional. Ontem, no entanto, Newton saiu de cena, ao saber que peemdebistas estariam articulando a candidatura do governador. Segundo assessores, ele estava em uma de suas fazendas, no interior de Minas.DirceuNa manhã desta quinta-feira, Itamar, que no início da semana recebeu o presidente nacional do PL, Waldemar da Costa Neto, e o senador mineiro José Alencar - cujo nome ele defende, juntamente com o de Pedro Simon (PMDB), para compor a chapa de Lula -, tem encontro com o presidente nacional do PT, José Dirceu. O assunto é o mesmo da reunião com os liberais: saber o que pretende o governador e tentar seu apoio, mesmo que não dispute a reeleição, à candidatura de Lula.O ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB) garantiu ontem que não tem a intenção de candidatar-se ao Palácio da Liberdade, mas sim ao Senado, rebatendo informações de Brasília segundo as quais o presidente da Câmara e companheiro de partido, Aécio Neves, teria desistido de lançar-se na dispurta pelo governo estadual. "A questão já avançou bastante dentro do PSDB e minha candidatura é ao Senado, assim como o Aécio deverá ser candidato a governador", disse Azeredo.Para o ex-governador, houve entendimento entre os tucanos, ao contrário do que estaria acontecendo no PMDB de Itamar e Newton, de que "é o momento de um nome novo (Aécio)" para concorrer pelo PSDB ao Palácio da Liberdade. "É com este quadro que estamos trabalhando, uma candidatura forte para ganhar as eleições e retomar o crescimento de Minas", ressaltou. "Minha posição é essa (candidatura ao Senado) e já foi comunicada ao presidente da República, ao presidente estadual do partido, deputado federal Danilo de Castro,e ao ministro José Serra", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.