Aliados emplacam obras no PAC

Peemedebistas conseguem incluir asfaltamento de rodovia em Rondônia e construção de barragens no Ceará

Ana Paula Scinocca, O Estadao de S.Paulo

23 de dezembro de 2008 | 00h00

Às vésperas do Natal, integrantes da base aliada do governo conseguiram emplacar obras no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Uma das contempladas foi a deputada Marinha Raupp (PMDB-RO), mulher do líder peemedebista no Senado, Valdir Raupp. Presente do Papai Noel? Ela assegura que não. Marinha conseguiu incluir no PAC o asfaltamento da BR-429, que corta Rondônia. "Não foi um atendimento à base aliada. Estou no meu quarto mandato e há 14 anos luto para a pavimentação da rodovia. O Papai Noel não foi para mim, não. Foi para a população das cidades da região", afirmou. "Estou comemorando." Marinha afirma ter sido informada da inclusão da obra no PAC em telefonema da secretária-executiva da Casa Civil, Erenice Guerra. A deputada contou que já havia conversado sobre a importância da pavimentação da rodovia com a coordenadora do programa, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.A decisão de incluir a obra pleiteada pela deputada da base aliada foi tomada na sexta-feira, durante reunião do comitê gestor do PAC. "A obra atende a todos os requisitos e exigências para entrar no programa. Não tem nada de encaminhamento político", destacou a mulher do líder do PMDB no Senado.Assim como Marinha, outro deputado do PMDB foi beneficiado pelo PAC no apagar das luzes de 2008: o ex-ministro Eunício Oliveira.Ele conseguiu incluir no programa duas barragens e uma adutora no Ceará, no valor de R$ 250 milhões. Ontem, Eunício disse ao Estado que as obras foram incluídas no PAC por intermédio do ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e do governador do Ceará, Cid Gomes (PSB). "Estou feliz porque são obras importantes e estruturantes para Ceará. É ótima a inclusão delas no PAC para o Estado", afirma Eunício. "O mérito, porém, não é meu", assegura.Segundo Eunício Oliveira, as duas barragens e a adutora foram pleiteadas pelo governador. Ele disse ainda que as obras beneficiam municípios em que ele, inclusive, "nem teve voto".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.