Aliados de FHC acham difícil adiar lançamento de candidatos

As declarações do presidente Fernando Henrique Cardoso, de que este não é o momento para o lançamento de candidaturas da alinça governista à sucessão presidencial, receberam o apoio dos partidos aliados que admitem, no entanto, a dificuldade de se conter a discussão. O ex-ministro da Justiça, José Gregori, que vai assumir a embaixada do Brasil em Portugal, reconhece que é preciso conter a impaciência dos partidos. "As candidaturas podem esperar mais um pouco, até que o governo conclua o seu trabalho e considere a hora certa", disse.O governador de Mato Grosso, Dante de Oliveira, embora admita que a hora da sucessão deva ser outra, disse que não acha correto o PSDB ficar parado para sentar à mesa somente no final de janeiro. "Até lá outras candidaturas podem ter se consolidado", alertou. Na avaliação dele, o que o presidente quer é estabelecer um critério para a escolha dos pré-candidatos e que isso deve acontecer até o final de janeiro. Para Dante de Oliveira as declarações do presidente não contrariam a conversa que ele e Fernando Henrique tiveram ontem, no Palácio da Alvorada.O presidente do PMDB, Michel Temer, considera que as declarações do presidente são um alerta importante a todos os partidos, mas admite que é inevitável que o assunto comece a ser discutido. Temer disse considerar viável uma aliança de partidos para a sucessão, e que depois das prévias do PMDB será impossível segurar essa discussão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.