Aliados de Cabral enterram CPI da Região Serrana

Com o empenho direto do governador Sérgio Cabral (PMDB) na semana passada, quando falou pessoalmente ou por telefone com vários deputados aliados, está praticamente sepultada a CPI da Região Serrana, que investigaria desvio de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) na recuperação de escolas atingidas pelas enchentes. Embora as informações não sejam oficiais, deputados da oposição reconheciam nesta segunda-feira que o requerimento de criação da CPI, que chegou a ter o apoio formal de 29 deputados, não alcançava o mínimo de 24 assinaturas necessárias para ser instalada. As informações extraoficiais são de que onze deputados retiraram assinaturas, entre os quais dois parlamentares do PT. Na semana passada, Cabral recebeu um grupo de quatro dos seis deputados petistas.

LUCIANA NUNES LEAL, Agência Estado

12 de agosto de 2013 | 18h38

Os petistas estão divididos em relação à permanência no governo Cabral, já que o partido decidiu lançar o senador petista Lindbergh Farias candidato ao governo do Estado. Um grupo defende a saída imediata do governo e outro prefere adiar a decisão. Cabral, que vive o momento mais difícil da gestão, com protestos quase diários de manifestantes que pedem sua saída do governo e baixos índices de popularidade, mobilizou os aliados na Assembleia Legislativa para evitar a investigação sobre as obras na Região Serrana, que são coordenadas pelo vice-governador e coordenador de Infraestrutura do Estado, Luiz Fernando Pezão, pré-candidato do PMDB ao governo.

Tudo o que sabemos sobre:
CabralCPI Região Serrana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.