Aliado do PR acumula função em diretorias do Dnit

Com crise nos Transportes e afastamento de titulares, órgão tem várias diretorias acéfalas

Vannildo Mendes, da Agência Estado

22 de julho de 2011 | 11h07

BRASÍLIA - Aliado do senador Magno Malta (PR-ES), o diretor de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Geraldo Lourenço de Souza Neto, está mais forte. A partir desta sexta-feira, 22, ele passa a acumular sua função com a de diretor interino de Administração e Finanças do órgão, conforme portaria publicada no Diário Oficial da União. Em meio a denúncias de corrupção, o Dnit está com várias diretorias acéfalas por conta do afastamento dos titulares.

Souza Neto passa a acumular a função porque o nome indicado para a Diretoria de Administração e Finanças, Augusto César Carvalho Barbosa, foi desconvidado pela presidente Dilma Rousseff antes de ser sabatinado pelo Senado. Ele havia sido indicado para o cargo pelo ex-chefe de gabinete do Ministério dos Transportes, Mauro Barbosa, que foi afastado após a revelação, em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, de que estava construindo uma mansão de R$ 1.300 metros quadrados no Lago Sul, bairro nobre de Brasília.

Integrante da cota do PR no Ministério dos Transportes, Souza Neto é um dos cotados para deixar o governo. No entanto, até que a designação dos novos dirigentes seja concluída, ele acumulará as duas funções para evitar paralisia nas atividades da pasta.

A portaria que o nomeia é assinada pelo diretor de Planejamento e Pesquisa, Jony Marcos Lopes, que também acumula o cargo com o de diretor-geral interino. O titular deste cargo, Luiz Antônio Pagot, está de férias, e o segundo na linha sucessória, José Henrique Sadok de Sá, foi afastado por suspeita de envolvimento nas irregularidades da pasta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.