Aliado de Renan vai relatar processo por esquema de propina

Ao contrário do que se esperava, caberá a Almeida Lima relatar a quarta denúncia e não a terceira

ROSA COSTA, Agencia Estado

04 de outubro de 2007 | 12h14

O presidente do Conselho de Ética do Senado, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), disse nesta quinta-feira, 4, que anunciará o nome do senador escolhido para ser o relator da terceira representação aberta no colegiado contra o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB). Trata-se da denúncia de que Renan teria registrado em nome de "laranjas" (falsos proprietários) duas emissoras de rádio e um jornal adquiridos em sociedade com o usineiro alagoano João Lyra.   Ao contrário do que se esperava, Quintanilha disse que caberá ao senador Almeida Lima (PMDB-PB), aliado de Renan, relatar não essa, e sim a quarta denúncia - na qual Renan é acusado de participar de esquema de cobrança de propinas em ministérios ocupados pelo PMDB.   Quintanilha voltou a se queixar de suposta dificuldade para encontrar senadores dispostos a aceitar a relatoria dos processos contra Renan. Mas explicou por que rejeitou nomes de parlamentares que se dispuseram a assumir a tarefa, como Eduardo Suplicy (PT-SP) e Jefferson Pérez (PDT-AM), considerados independentes. "A escolha de relator é uma atribuição do presidente (do Conselho). Eu gosto do Suplicy. Tenho por ele e pelos demais senadores o maior respeito, mas a competência é do presidente", limitou-se a dizer.   Quintanilha negou que, no seu encontro de quarta-feira de manhã com Renan, tenham tratado de assuntos do Conselho de Ética. Segundo Quintanilha, "Renan não tem-se intrometido" nos assuntos do conselho. "Sou senador e não posso fazer o compromisso de não conversar com o presidente da Casa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.