Algumas pessoas comemoraram PIB negativo, diz Lula

Em tom de brincadeira, presidente disse ter visto 'ponta de sorriso' no rosto de oposicionistas

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

12 de março de 2010 | 14h58

Em evento na região metropolitana de Curitiba nesta sexta-feira, 12, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu que membros dos partidos de oposição viram na retração de 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 uma vitória eleitoral. A informação foi divulgada na quinta-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Veja Também

linkLula admite problemas em unir base aliada nos Estados

linkAntes de inauguração de obra vetada, Lula critica fiscalização

 

"Eu vi a cara de algumas pessoas falando do resultado do PIB", disse o presidente. "De algumas, até a ponta de um sorriso de 'finalmente pegamos o Lula', porque o PIB do Lula não cresceu", criticou, em tom de brincadeira.De acordo com o presidente, tem gente comparando seu desempenho "até com o Marechal Deodoro da Fonseca", primeiro presidente da República.

 

 

A queda do PIB em 2009 representa o primeiro resultado negativo da atividade econômica brasileira desde 1992. Naquela época, o PIB ficou negativo em 0,5%.

 

TCU

 

Lula discursou durante a inauguração da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, na grande Curitiba. Principal obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Paraná, o Repar foi uma das quatro obras da Petrobrás que o Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou que fossem retiradas do Orçamento da União de 2010.

 

Mais cedo, em entrevista à Rádio Banda B, Lula abordou o tema, que tem classificado como excessos da maquina fiscalizadora. "Sou favorável a toda e qualquer fiscalização que façam, até 24 horas, via satélite. Acontece que as coisas são complicadas. Muitas vezes as pessoas levantam suspeitas de uma obra, paralisa a obra e só depois da obra paralisada chega a conclusão que está correta. Quem paga o prejuízo da obra paralisada? Não aparece. O povo brasileiro paga porque não tem obra", disse.

Mais conteúdo sobre:
PIBLulaoposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.