Alfredo Nascimento comemora parecer da PGR

O senador Alfredo Nascimento (PR-AM) subiu à tribuna do Senado na tarde desta terça-feira e, em discurso acalorado, comemorou a conclusão das investigações conduzidas pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, sobre as denúncias que afastaram o parlamentar do Ministério dos Transportes. Para Gurgel, não há indícios de envolvimento de Nascimento nem do deputado Valdemar Costa Neto nas irregularidades encontradas nas licitações e contratos na pasta pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria Geral da União (CGU).

DÉBORA ÁLVARES, Agência Estado

06 de agosto de 2013 | 17h57

Na época, indignado com a falta de apoio da presidente Dilma, Alfredo Nascimento disse que não era "lixo". "O meu partido não é lixo para ser varrido da administração", afirmou em agosto de 2011. Nesta terça, o senador repetiu que não é "lixo" e disse ter se sentido "envergonhado" desde as denúncias que o fizeram deixar a pasta.

"Passei ao longo desses dois anos encolhido, envergonhado. Vergonha de olhar nos olhos das pessoas. Cruzava no aeroporto, as pessoas me olhavam e eu baixava a cabeça", afirmou em seu discurso. "Agora posso olhar nos olhos dos senhores, meus colegas senadores. Posso olhar para trás e ver que, em mais de 30 anos de vida pública, nunca pratiquei um ato do qual tenha que me envergonhar", completou.

Nascimento pediu demissão da pasta em 5 de julho de 2011. A investigação foi aberta em outubro de 2011 pelo Ministério Público para apurar suspeitas do envolvimento do senador e de Costa Neto no suposto esquema de desvio de dinheiro público nos Transportes. O parecer de Gurgel segue, agora, para o ministro relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.

Tudo o que sabemos sobre:
Alfredo NascimentoPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.