Alfredo Nascimento admite que não manda no seu ministério

O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, disse hoje que seu ministério foi o mais desestruturado que ele já geriu em toda a sua vida pública. "Nunca administrei um órgão tão preparado para não funcionar quanto o Ministério do Transporte", disse Nascimento, em exposição na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados. Ele reclamou de uma "falta de comando" na pasta e de uma "personalização das decisões". "Eu não sei trabalhar onde eu não mando. Na minha casa a última palavra é a minha e não é para dizer sim senhora", disse Nascimento. Ele reclamou ainda da falta de funcionários. Segundo o ministro, o extinto Departamento Nacional de Estradas e Rodagem (DNER) tinha 3.400 funcionários, enquanto que o seu sucessor, o Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte (DNIT) ficou com apenas 1.700 funcionários, e recebeu adicionalmente a responsabilidade sobre ferrovias e portos. Por conta disso, o ministro disse que já tomou providências para realizar concurso público, para contratar mais técnicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.