Alfândega explica retenção de estátua

Em nota encaminhada à imprensa, a alfândega do Porto de Santos nega que o desembarque da escultura portuguesa ?Porta de Abril?, destinada ao Parque do Ibirapuera, tenha sido adiado indevidamente. A alfândega afirma que o desembarque da obra dependia de ?autorização do Ministério das Relações Exteriores?, de acordo com ?normas legais a que estamos (a alfândega) subordinados?. A nota também afirma que não havia tributação pendente no caso. A obra ficou retida por mais de um mês no Porto de Santos, mas já foi liberada e deve chegar hoje à capital paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.