Alencar se esquiva de comentar absolvição de Renan

O presidente em exercício, José Alencar, afirmou que a decisão dos senadores em absolver o presidente da Casa, Renan Calheiros, é de "foro íntimo" e que não caberia a ele opinar sobre o assunto. "Nós temos que compreender que o Senado é uma instituição independente e soberana. Nós que participamos do Executivo não devemos fazer qualquer ingerência nas decisões do Senado" explicou. Alencar preferiu acompanhar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na análise do episódio. "Como falou muito bem o presidente Lula lá na Europa, nós temos que respeitar a decisão, que é soberana, qualquer que ela seja e vamos respeitar", afirmou.Alencar disse acreditar que o ambiente político dentro do Congresso não corre riscos. "Eu não participei da reunião. Mas eu acredito que a reunião tenha sido levada com a maior lisura e com independência. Cada eleitor votou conforme a sua consciência. Então eu não tenho absolutamente nada a dizer a respeito disso, a não ser que a decisão do Senado é uma decisão soberana e o Executivo leva em consideração isso porque o Executivo respeita os outros Poderes" disse.Sobre uma possível renúncia de Renan Calheiros, ou até mesmo se o presidente do Senado teria clima para continuar no cargo, Alencar disse que isso era um problema do próprio senador. "Isso aí é uma questão dele. Não podemos dizer nada. Eu não posso de forma alguma falar algo nesse sentido porque seria uma ingerência."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.