Alencar: revisão de anistia 'não é assunto do Executivo'

O presidente em exercício, José Alencar, discordou da afirmação do ministro da Justiça, Tarso Genro, de que devem ser punidos - apesar da Lei da Anistia, de 1979 - os autores de assassinatos e crimes de tortura praticados durante o regime militar (1964-1985). "Não é um assunto do Executivo. Os juristas defendem a tese de que este assunto é eminentemente do Judiciário, de modo que não cabe ao Executivo entrar nessa matéria", afirmou. Alencar fez as declarações em entrevista no Palácio do Planalto. O presidente em exercício evitou polemizar com Genro, que fez o anúncio de sua tese em reunião sobre direitos humanos no Ministério da Justiça. "Vivemos num País democrático, e as pessoas podem dizer o que querem. E isso é bom", afirmou Alencar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.