Alencar porta-se como vice de Lula

Pela primeira vez desde que iniciou as negociações com o PT, o senador José Alencar (PL-MG) portou-se como provável vice de Luiz Inácio Lula da Silva na chapa presidencial. Em defesa de Lula, Alencar insinuou nesta terça-feira que o senador Eduardo Suplicy (SP) deveria desistir de enfrentar o companheiro numa prévia para a escolha do candidato do PT, em nome do interesse nacional."A candidatura do Lula é absolutamente inquestionável" argumentou Alencar, que inicia nesta quarta uma viagem de três dias com o presidenciável. Diplomático, disse entender que o assunto é de "economia doméstica" do PT. "Mas, na minha modesta e humilde condição de não-petista, acho que Suplicy prestaria um grande serviço ao País, se adotasse uma posição lúcida de aplauso e apoio a Lula."Nesta segunda-feira, Suplicy afirmou à reportagem que Lula "seria mais democrático" se aceitasse debater com ele antes da prévia, marcada para 17 de março. O senador voltou a cobrar da cúpula do partido a promoção de pelo menos um "diálogo público". Lula e dirigentes do PT, porém, acham que esses debates provocariam desgaste desnecessário na campanha."Suplicy é um de nossos mais brilhantes colegas no Senado, e, ainda que tenha todo o direito de fazer o que está fazendo, acredito que sua atitude não consulta o interesse nacional", observou Alencar. "Sugiro ao senador que faça uma pesquisa com mais de 2 mil brasileiros, porque, assim, ele verá que, se eu desistisse, estaria prestando um desserviço à democracia e causando enorme frustração aos eleitores", respondeu Suplicy.Em busca de apoio dos liberais, Lula partirá nesta quarta para uma "caravana" em dez fábricas de Alencar. Empresário bem-sucedido, o parlamentar é dono da Coteminas - grupo do setor têxtil que emprega 12,5 mil funcionários - e atuará como cicerone na viagem.Reforçada pelos deputados federais José Dirceu e Valdemar Costa Neto - presidentes do PT e do PL -, a comitiva visitará unidades da empresa em Montes Claros (MG), Macaúba e São Gonçalo do Amarante (RN), além de João Pessoa e Campina Grande (PB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.