Alencar pede que médicos deem alta até quinta-feira

O vice-presidente José Alencar, de 77 anos, internado desde quinta-feira no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, recebeu ontem visitas dos senadores Romeu Tuma (PTB-SP) e Aloizio Mercadante (PT-SP), do assessor especial da Presidência Gilberto Carvalho e do padre Marcelo Rossi. Tuma disse que Alencar "exige" alta até quarta ou quinta-feira para retomar os trabalhos.Alencar passou por sua 14ª cirurgia desde que iniciou sua luta contra o câncer, há 12 anos. Foram retirados 10 tumores que obstruíam o intestino e causavam dor. Oficialmente, não há previsão de alta. Segundo Raul Cutait, um dos médicos da equipe, a cirurgia foi longa, de seis horas, o que torna o pós-operatório mais lento.Mesmo com a indefinição sobre sua saída do hospital, o vice "brinca o tempo todo", segundo os senadores. Alencar, que saiu da UTI no sábado, já caminha pelo quarto. Está ansioso pela chegada de seus dois primeiros bisnetos, filhos de seus netos Paulo e Giovana. Pediu para os médicos "que o segurem por mais tempo", segundo os relatos. "Até o batizado?", perguntou um membro da equipe. "Não", respondeu, "até a formatura deles."Sobre política, os senadores e o vice não conversaram. Passaram ao largo da crise do Senado. No sábado, Alencar mandou uma "palavra de força" para os parlamentares, pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.