Alencar passa por cirurgia de até 18 horas em SP

O vice-presidente José Alencar, de 77 anos, começou a ser submetido ontem de manhã à mais radical intervenção sofrida desde o início da luta contra o câncer. Às 7h30 ele foi conduzido ao centro cirúrgico do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. A operação para retirada de tumores abdominais teve início às 9 horas, conduzida pelo médico Ademar Lopes, com participação da equipe do professor Miguel Srougi, e deveria se prolongar até a madrugada de hoje - cerca de 18 horas de procedimento, segundo estimativa da equipe médica formada por quase 15 profissionais, entre oncologistas, cardiologistas, nefrologistas e anestesistas."É a mais delicada cirurgia imposta ao vice-presidente até hoje", declarou Paulo Hoff, oncologista clínico. "Não existe procedimento de tamanha complexidade sem riscos para o paciente", anotou Roberto Kalil Filho, cardiologista.Às 17 horas, Kalil e Hoff informaram que o vice-presidente estava "reagindo bem". Eles avaliaram que Alencar "tem poder de recuperação invejável, é forte e está plenamente em forma para enfrentar essa cirurgia, apesar da situação difícil em relação aos tumores".Após demorada discussão acerca do tratamento adequado - a família consultou especialistas americanos -, os médicos decidiram fazer uma peritonectomia em Alencar. "Ele próprio participou ativamente da decisão de prosseguir com o procedimento", informou Hoff.A doença está localizada na região do peritônio, película que recobre e protege os órgãos dentro do abdômen. "É um tumor principal na cavidade abdominal com alguns tumores satélites, que são mais de cinco", explicou o oncologista. "O maior encontra-se na região esquerda inferior, próximo ao ureter, entre a bexiga e o rim." Hoff esclareceu que a retirada do ureter - canal que leva a urina do rim à bexiga - era uma possibilidade que estava sendo aventada. Alencar poderá permanecer na UTI por alguns dias.Sábado à noite, na suíte 1.105 do Sírio Libanês, Alencar recebeu o ex-ministro Marcio Thomaz Bastos, da Justiça. "Alencar está muito bem, confiante, ele é um herói brasileiro", disse Bastos, à saída do hospital.Na noite de sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva telefonou. Foi uma longa conversa, marcada pela descontração. Lula fez uma provocação, ao comentar a taxa de juros, tema que incomoda Alencar. "Não pode (haver juros tão elevados)", exaltou-se o vice. "Tem de adotar taxa compatível com o Brasil." O presidente divertiu-se: "Você está ótimo mesmo, Alencar, eu só quis fazer um teste".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.